NÃO ME DESPEÇO DE TI, ATÉ JÁ MEU IRMÃO



Não me despeço de ti, ATÉ JÁ MEU IRMÃO

Na noite calada que escrevo, escrevo porque a insónia persegue-me e tenho medo de explodir, tenho medo de gritar que é injusto a tua partida, não é normal. Não serão injustiças todas, todas as mortes? Não sei, mas tinhas tanto para dar a este mundo.
E assim vais, tão cedo e tão bruscamente para quem te preza muito.
De cunhado ao irmão, ao amigo, ao confidente e à parte de mim não sei quando tornaste tudo tão real. “Boa Pessoa” é assim que o mundo te conhece, toda gente que lida contigo só tem maravilha a dizer sobre ti.
Ainda me lembro daquele dia que fomos ver “Canta Pó” e aquilo não acabou bem, lembro que protegeste-me tão bem que só me lembro de pensar que estavas a ver o teu casamento a regredir se algo me acontecesse hehe. Lembro das nossas saídas na tua mota. És tu quem me proporcionou aquelas férias em Farim, terra que nunca mais sai-me da memória. 
És o exemplo daquilo que procuro, um trabalhador incansável, sempre disponível para qualquer emergência, mesmo quando por falha de algum preguiçoso. És um pai babado, capaz de mostrar zanga pelos teus filhos, lembro de rirmos-te quando te chateias porque Nhamo bateu ou ralhou com o teu filho.
É claro que falhei contigo, que não nos despedimos, faz muito tempo que não falo contigo, estive sempre aqui a acompanhar as preocupações do teu Babá e da tua Nene, eu também estava preocupado mas não fui capaz de falar contigo. Acreditava e acredito que és forte e não serias capaz ir tão cedo, ainda é cedo e tens os teus quatro filhos.  
 E agora que vais, agora que Cossé chora o filho prodígio, agora Bissorã chora o seu dirigente desportivo, agora que os teus filhos, pais, esposa, irmãos, amigos e conhecidos choram a impossibilidade que estar contigo porque arrancaste antes do tempo, já chorei, continuo incrédulo e revoltado, triste e cabisbaixo. Estou aqui para dizer-te que jamais deixarei de sorrir para ti, jamais deixarei de abater pelas circunstâncias porque hoje sei que A PARTIDA É SEMPRE IMPREVISÍVEL.

Vai meu irmão, não poderei ver-te porque estou aqui acantonado longe da terra, estou aqui como morto-vivo, estou aqui a sofrer por ti porque poderei dizer-te Adeus NÃO ME DESPEÇO DE TI… ATÉ JÁ MEU IRMÃO!  



Comentários

  1. Senti a tua dor, ao ler essas palavras, que o exemplo dele te faça forte pra prosseguir e pra ajudar os outros também, forte abraço.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

CONVERSA COM O CIGARRO

Tão Fora de Lugar

JOSÉ CARLOS SCHWARZ SEMPRE